29 de nov de 2011

Capítulo Cinco

Um jovem de descendência mista entra em um colégio interno de prestígio na década de 1950. Ajustar a essa nova vida não poderia ser mais difícil do que ele imaginou... Por muitas razões!


      Capítulo Cinco 



Tinha se passado uma semana inteira desde que Ryo chegou à sua nova escola e ele ainda estava se ajustando. Embora ele descobrisse que podia lidar com a carga de aula bem o suficiente, era o aspecto social da escola que o incomodava. Nas escolas públicas que ele frequentou anteriormente, ele manteve seu nariz em seus livros e fora do negócio de outras pessoas. Um loiro um pouco tímido e modesto não tinha feito muitos amigos, mas ele não tinha nenhum inimigo em compensação. Tudo e com todos, ele se misturou e ficou longe de problemas, algo que ele descobriu  impossível de fazer em sua escola atual. Não foi apenas o fato dele ter sido absorvido pelo grupo de canalhas do Dee, mas havia outros problemas também. Problemas de natureza mais pessoal.

Na primeira manhã, quando tinha ido para o salão de jantar, Ryo descobriu que ele já tinha uma boa reputação. Tudo que ele queria naquele dia era conseguir alguma comida em seu estômago (ele não chegou a comer na noite anterior) e começar a estudar. No entanto, logo que ele entrou no Hall, carregando sua bandeja de café da manhã parecendo bastante funesto, ele foi confrontado com os olhares e zombarias de seus colegas de classe.

"Ei! É o novo garoto! Que maneira de fazer uma entrada na noite passada!" Alguém disse rindo. Comentários semelhantes seguiram-no quando ele moveu-se entre as mesas, ficando em silêncio e procurando na multidão, em vez de desordeiros por um rosto amigável. Com sua atenção desviada, e ele quase se chocou com um homem alto, de ombros largos, e jovem de cabelos louros platinado que estava vindo cumprimentá-lo.

"Olá, você deve ser o novo aluno sobre o qual eu ouvi muito", disse ele, dando um sorriso brilhante que Ryo imediatamente recebeu como suspeito. "Meu nome é Rose Berkley. Eu sou o representante de classe sênior. É um prazer conhecê-lo", disse o menino, oferecendo a mão a Ryo.

"Randy MacLain. Um prazer em conhecê-lo também. Eu sou apenas um novato, no entanto," Ryo respondeu, apertando a mão estendida. Foi um gesto formal, nada de anormal, e Ryo ainda se sentia desconfortável quando ele enfiou a mão no punho do outro garoto. Aquele sorriso no rosto de Rose de alguma forma parecia mais predatório do que amigável. Este menino era definitivamente é alguém com que Ryo deve ter cuidado. O loiro platinado parecia muito seguro de si e cheirava a poder e privilégio.

"Sério?" Disse Rose, "Parece como se você fosse um sênior."

O estômago de Ryo resmungou em seguida, e ele se lembrou de como ele estava condenado de fome. "Desculpe-me", disse a Rose sem resposta ainda. Ele tentou remover a sua mão do aperto de Berkley, apenas para descobrir que o jovem alto não estava disposto a libertá-lo.

"Desculpe-me!" Ryo repetiu com mais força, se sentindo irremediavelmente autoconsciente quando viu os outros meninos ao seu redor de repente ter interesse em sua conversa.

Em vez de libertar Ryo, no entanto, Rose simplesmente o ignorou. Aproximando-se, passou um dedo sobre o seu rosto pálido. A boca do Ryo ficou boquiaberta quando a figura alta inclinou-se perto de seu ouvido e disse-lhe com uma voz grossa aveludada, "Suas características são bastante encantadoras. Posso chamar-lhe mais tarde? Onde está o teu quarto?"

O loiro olhou para ele em choque. Ele estava sendo cantado? Por outro menino? Na frente de toda a maldita escola? As bochechas de Ryo coraram involuntariamente e ele lutava para recuperar a compostura. Sua derrota só parecia estimular Rose ir adiante. Seu sorriso presunçoso se arregalou.

Este menino era muito arrogante para seu próprio bem, Ryo pensava. Sua ira queimava e com a mão livre, ele bateu na mão do outro garoto para longe de sua face. Ação do loiro ganhou um "oouuuuUUU!" alto da plateia agora atenta ao seu redor, e Ryo queria mais do que qualquer coisa desaparecer ali mesmo no tapete sob seus pés.

Ele esperava Rose ficar bravo por sua vez, mas ele apenas continuou a sorrir e a segurar o pulso do Ryo com seus dedos fortes. Com um riso macio, Rose disse num tom condescendente, "Não fique tão ofendido por minha oferta, tenho aulas de arte e é preciso escolher modelos eu mesmo. Eu simplesmente pensei que você daria um bom tema..."

"Oh," disse Ryo em silêncio. Ele não sabia como lidar com esta situação em tudo. Os meninos ao seu redor estavam rindo agora para si mesmos, e Ryo sabia que eles estavam todos rindo às suas custas. Rose estava, obviamente, jogando com ele.

"Por que mais você achou que eu iria querer ir para o seu quarto, minha pequena beldade?" Rose disse, inclinando-se com uma risada suave no rosto agora vermelho-vivo e mortificado de Ryo. A audiência sobre eles caiu na gargalhada cheia com as insinuações do Rose. Ryo estava à beira de se perguntar se ele deveria abandonar seus sonhos de um registro completamente limpo para bater aquele olhar presunçoso fora do rosto desse menino arrogante, quando uma voz familiar atrás deles disse: "Ei! Afaste-se dele, Rose!”.

Inclinando-se para um lado, Ryo viu Dee de pé atrás deles, uma profunda carranca nublando seu rosto.

"Bem, bem! O que temos aqui? Alguém se esqueceu de levar o lixo para fora?" Rose disse com um sorriso de escárnio.

Dee não parecia, nem um pouco intimidado. Em vez disso, um sorriso se espalhou pelo seu rosto quando ele disse, "Ao contrário de você, Rose, não tenho problemas em conseguir uma marca vermelha no meu registro por chutar a sua bunda, mas eu duvido que você iria querer manchar seu próprio registro precioso. O que sua família iria dizer?"

Ryo olhou para Rose e encontrou seus olhos se estreitando com fendas mortais. Dee aparentemente sabia o ponto fraco do jovem e não tinha medo de explorá-lo. O loiro sentiu seu pulso liberado e ouviu o menino dizer alto a Dee, "Você não vale a pena.”

Enquanto observava Rose de pé, Ryo soltou um suspiro, que ele não tinha percebido que estava segurando, e virou-se para Dee. "Obrigado," disse ele agradecendo com um sorriso genuíno.

Estranhamente, Dee gaguejou, "Está tudo bem." O belo sorriso tinha atingido o menino de cabelos escuros com uma força inesperada. Ele sentiu um arrepio suave rodar sobre o seu corpo com a gratidão do menino. Recompondo-se, ele pegou a mão do Ryo e disse: "Vamos, estamos todos sentados aqui!"

Por um momento, Ryo perguntou como ele tinha de repente se tornado parte do "nós" e ele sorriu com o pensamento. Dee então passou a apresentá-lo a Drake, Ted, Barry, e alguns outros. Em seguida, ele recebeu uma lição sobre os arranjos do assento do refeitório.

"Você estava andando por meio da área 'preparatório elite'. Eles são todos ricos repugnantes idiotas e Rose é o pior. Então você tem o preparatório regular com um pouco menos de dinheiro e arrogância. Os quadrados estão lá, todos lendo seus malditos livros. E então você tem os dos EUA! O melhor do lote!" Eles explicaram com um elogio. Eles eram amigáveis com Ryo e ele foi grato, mas ele olhou para seu cabelo liso, laços frouxos, e jaquetas amarrotadas dos que tinham deixado de se autodenominam como “engraxates,” o que claramente eram. Ryo não pôde deixar de sorrir interiormente, sobre o rumo dos acontecimentos. Deixado sozinho, ele certamente teria sido um dos nerds, um rato de biblioteca, — um quadrado. Ou talvez ele realmente devesse dizer que ele era um quadrado, mas ninguém tinha percebido.

Conforme a semana foi passando, ele descobriu que Dee e seus amigos estavam dispostos a deixá-lo estar e não pressioná-lo demais para obedecer. Na verdade, foi mais o contrário. Ryo realmente nunca tinha tido amigos próximos, certamente não qualquer um que era tão rebelde quanto Dee e seus amigos. Ele encontrou-se tentando orientá-los em melhores hábitos. Por um lado, ele descobriu que Dee era um fumante habitual. Muitas pessoas pensavam nada sobre adultos ter um cigarro de vez em quando, mas Ryo não gostava do hábito sempre e constantemente e deixava Dee saber. O qual, considerando o quanto Dee fumava, era muito frequentemente! Dee fumava em seu dormitório, no banheiro, no jardim depois de horas, em qualquer lugar que ele pudesse fugir com isso.

"Dee!" Ryo gritou quando ele se sentou tentando estudar "eu disse que não é permitido fumar quando estou estudando! E definitivamente não no meu quarto!" Ele pulou da cadeira e pegou o cigarro da boca de Dee, jogando-o para fora da janela.

"Ei! Cento, tudo bem! Mas não jogue fora! Eu poderia ter simplesmente colocá-lo para fora!" Reclamou o menino de cabelos escuros.

O loiro bonito antes dele se acomodou em sua cadeira com um 'hmph.'

"Sobre o que você está trabalhando, de qualquer maneira?" Dee perguntou, usando o seu interesse fingido como uma forma de se aproximar de Ryo enquanto ele se inclinou sobre sua cadeira por trás. Seu rosto roçou o cabelo loiro suave do menino e Dee sentiu seu sangue começar a correr. O mais perto que ele chegou de Ryo, mais ele percebia quanto o queria. E mais, ele sabia que tinha que avançar lentamente.

Desde que ele havia subestimado o menino tão mal em seu primeiro encontro, Dee agora se esforçava consideravelmente para tentar conhecê-lo com uma mente aberta. Uma coisa que ele tinha consciência era quanto estava enrolado com o loiro esguio. Por mais que Ryo riu e brincou com ele, Dee podia ver que ele estava mantendo-se muito reservado. Havia uma tristeza e uma saudade em seus olhos que o menino de cabelos de ébano via sempre na ocasião em que estavam sozinhos, e Ryo abaixava a guarda. A visão daquele rosto angelical com aqueles olhos escuros, assombrados atraiu Dee como nenhum outro que ele tinha conhecido. Talvez fosse porque ele sentia uma afinidade com essa tristeza, ou talvez acabasse de adicionar profundidade para o óbvio desejo que Dee abrigava para o ágil menino de pernas longas, cujo cabelo loiro coroava aqueles traços perfeitos.

Mesmo agora, enquanto Dee sentia o cheiro do cabelo recém-lavado do rapaz e algo mais, um cheiro exclusivo da pele de Ryo, ele mal se conteve de estender a mão e escovar os finos, finos fios longe dos olhos obsidiana de Ryo. Dee descobriu que ele estava respirando pesadamente contra o pescoço exposto do outro garoto e ele lambeu os lábios em um desejo inconsciente de cortar a carne tenra.

Ao lado dele Ryo moveu-se desconfortavelmente em sua cadeira, arrepios subindo ao longo de sua pele, onde o toque fantasma da respiração de Dee acariciava. Eram momentos como esses que tinham causado a Ryo mais confusão sobre os últimos dias. Seu peito subia e descia em rápida sucessão, não importa o quanto ele repreendeu a si mesmo e tentou se acalmar. Ele poderia praticamente sentir o desejo de Dee.

"A história dos EUA" Ryo deixou escapar de forma abrupta, em resposta à pergunta que Dee havia feito antes que ambas as suas mentes estavam quase ultrapassadas pela luxúria.

"Uh -huh" Dee murmurou distraidamente. Incapaz de resistir, ele derivou seu lábio inferior...

"Ei! Onde está a pequena beldade!" Vozes zombando chegaram subitamente do outro lado da porta, seguido por uma batida rápida. Ambos os meninos quase pularam para fora da sua pele com a interrupção abrupta.

"Porra!" Ryo rangeu para fora com os dentes cerrados, o clima agora completamente quebrado. Atrás dele Dee riu. "O que há de tão engraçado?" Ryo perguntou, lançando um olhar mal para o menino de cabelos escuros quando ele se levantou e caminhou até a porta. "Deixe-me sozinho. Eu estou estudando!” Ryo gritou ao fundo do corredor para os vultos recuando dos dois outros estudantes. Batendo a porta fechada, ele caiu para baixo na borda da cama, resmungando. "Maldito, Rose! Todos vão me chamar assim agora! Como é que aderiram esse nome estúpido?”

Por causa do Ryo, Dee calou o riso. Tanto quanto ele odiava Rose, ele não podia culpá-lo inteiramente pelo novo apelido de Ryo. Significava mais ou menos “linda menina” e a reputação da beleza de Ryo já tinha se espalhado através da escola. Afinal, era uma escola masculina e eles tinham que entreter-se de alguma forma. Passando por cima de Ryo, Dee deslizou sua mão sob o queixo do rapaz e levantou o rosto para ver os seus olhos, "Você tem que admitir, porém, você é tão bonito como qualquer mulher, Randy."

Ryo não conseguiu formar uma resposta quando ele caiu nas profundidades esmeralda. A tensão estendeu-se entre eles como uma tangível corda esticada, ao ponto de romper. Sem pensar, os dedos de Dee começaram uma carícia suave ao longo da linha do queixo do loiro. No pouco tempo que tinham conhecido um ao outro, Ryo tinha relutantemente admitido para si mesmo que a ligação que ele tinha sentido com o menino de cabelos negros, à primeira vista, era de fato baseada na atração física. Ele também percebeu que ele não tinha ideia de como lidar com essa atração, mas o instinto lhe disse que Dee sabia.

"Dee.." Ryo sussurrou um pedido silencioso de confusão e indecisão quando o outro menino inclinou a cabeça, fechando o espaço entre eles.

"Shhhh..." Dee calou o protesto silencioso do loiro quando ele finalmente esfregou suas bocas juntas, finalmente provou os perfeitos lábios rosados. Levou toda a sua vontade não jogar o menino para baixo quando um suspiro inocente e apaixonado escapou da boca de Ryo. Querido Deus, será que o loiro dócil tem qualquer ideia do quão atraente os movimentos inexperientes e sensíveis de seus lábios eram?

Com precisão experiente, Dee aprofundou sua língua lentamente à deriva através do lábio inferior Ryo empurrando contra a sua boca na procura silenciosa. Dee sentiu seu coração bater quando o outro menino obedeceu, abrindo os seus lábios com um gemido submisso. Alimentado pela obediência do Ryo e sua própria luxúria arrogante, Dee de repente cedeu aos seus desejos e, subiu em cima da cama, empurrou Ryo no colchão enquanto escarranchava em seus quadris.

"Uhh, Dee!" Ryo gritou sobrecarregado e precisando recuperar o fôlego. No entanto, o menino bonito escuro em cima dele interpretou suspiro do loiro como um incentivo, movendo os lábios deliciosos para baixo em sua garganta, ofegando enquanto suas mãos começaram explorar o corpo requintado de Ryo. "Dee!" Ryo gritou novamente: "Espere! Por favor!" Suas próprias mãos nos ombros empurraram Dee, mas o menino parecia não ouvi-lo.

O menino de cabelos escuros estava voltado para consumar seu desejo. Ele colocou seu joelho entre as coxas de Ryo intimamente e o loiro sentiu sua masculinidade já dura crescer rígida com excitação. Foi demais para ele. Ele continuou a empurrar o garoto que pairava sobre ele, mas sem sucesso e uma raia súbita de pânico lhe percorreu.

Arriscando ser ouvido pela sala ao lado, Ryo gritou: "NÃO! Dee, por favor! PARE!” Torcendo-se por baixo do outro garoto, ele empurrou-o com força com o joelho e Dee finalmente caiu com um baque no chão.

"Nossa Randy!" Disse ele, esfregando o quadril que tinha caído. Olhando para cima, ele ficou surpreso ao ver Ryo olhando-o com dor e confusão em seus olhos escuros.

"Eu lhe disse para parar," disse ele com uma voz tranquila e oscilante, que de alguma forma chegou até Dee de forma mais eficaz que uma acusação em voz alta jamais poderia.

"Eu sinto muito... Eu acho, eu só... Eu simplesmente não conseguia me controlar," confessou Dee. Merda, ele amaldiçoou a si mesmo enquanto observava Ryo afastar-se dele, encolhendo os joelhos até o peito. "Ei, Randy," Dee disse suavemente, avançando até Ryo: "Eu não queria magoar você." O menino de cabelos escuros percebeu que isso estava começando a soar familiar e o pensamento de quando ele tinha sido rude com Ryo no primeiro dia em que o tinha conhecido. Ele tinha a esperança de fazer as pazes com ele.

Que confusão que ele tinha feito agora.

Uma fungada abafada veio da direção do outro garoto, e Dee sentiu um torno apertar sobre o seu coração quando viu que as faces pálidas de Ryo estavam listradas com lágrimas.

Merda...



   Continua... 


5 comentários:

  1. Adorei, tá cada vez melhor!!!!!!! obrigada.

    ResponderExcluir
  2. eu estou adorando ler esse livro é lindo

    ResponderExcluir
  3. Esta cada vez melhor ! Espero anciosamente pelo capitulo 6 !

    ResponderExcluir
  4. Só falta saber se Ryo chorou porque não gostou ou se as lágrimas explicam o facto que ele gostou e muito do beijo de Dee rs,rs
    Mas isso só saberemos no próximo cap rs,rs
    Beijos...
    Boa Letura!!!

    ResponderExcluir
  5. Sou apaixonada por Ryo e Dee, mas tenho peninha do Aaron tadinho o Dee nem nota o quanto ele sofre.

    ResponderExcluir